O relatório Cada Vida Importa é resultado de uma ampla pesquisa de campo realizada em 2016 na Assembleia Legislativa, em parceria com Governo do Estado, Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e sociedade civil para investigar as trajetórias de vida dos adolescentes assassinados no ano de 2015 em sete cidades cearenses: Fortaleza, Juazeiro do Norte, Sobral, Maracanaú, Caucaia, Horizonte e Eusébio.

Foram ouvidas 224 famílias de adolescentes assassinados. Em 2015, 816 meninos e meninas de 10 a 19 anos foram mortos no território cearense, sendo 387 apenas na capital Fortaleza, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social. A pesquisa mais abrangente feita no Ceará sobre homicídios na adolescência reuniu 24 profissionais e resultou no relatório “Cada Vida Importa”, assinado pelo deputado estadual Renato Roseno, relator do Comitê.

A equipe trabalhou com reuniões ordinárias e extraordinárias, pesquisa de campo, audiências públicas, seminários, grupos focais, consulta aos órgãos governamentais e articulação com organizações da sociedade. O comitê observou a fundo as trajetórias de vida dos adolescentes que foram atravessadas pela violência letal e precoce, a partir da análise de quatro importantes aspectos da vida: individual, familiar, comunitário e institucional.

O relatório Cada Vida Importa inclui, ainda, 12 recomendações – elaboradas a partir da identificação de 12 evidências de vulnerabilidades – para reduzir o número de homicídios na adolescência no Estado do Ceará. As propostas do Comitê são direcionadas às prefeituras municipais e governo estadual (e suas respectivas secretarias), entidades de defesa da criança e do adolescente, sociedade civil, empresas de comunicação e poderes Judiciário e Legislativo.

Aqui é possível fazer o download da publicação completa.