segunda-feira, 26/03/2018

CCPHA participa do 1º Seminário do Movimento Cada Vida Importa

O evento foi realizado no Auditório da Biblioteca da Unifor

Resultado da mobilização de 11 universidades, o Movimento Cada Vida Importa tem a intenção de sensibilizar a sociedade FOTO: Ares Soares

O Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência (CCPHA) participou, na manhã de hoje (23), do “1º Seminário do Movimento Cada Vida Importa: a universidade na prevenção e enfrentamento da violência no Ceará”.

Sediado no Auditório da Biblioteca da Universidade de Fortaleza (Unifor), o evento integra a agenda de mobilizações do Movimento Cada Vida Importa, que reúne 11 universidades cearenses no enfrentamento à violência letal.

O relator do CCPHA, Renato Roseno, compartilhou a mesa de debate com a professora de Filosofia Sandra Helena de Souza, do Programa Cidadania Ativa (PCA) da Unifor, e a pesquisadora Ângela Pinheiro, do Núcleo Cearense de Estudos e Pesquisa sobre a Criança (NUCEPEC/UFC).

Citando dados da pesquisa do Comitê, Renato Roseno apontou que não há responsabilização dos autores desses crimes. Ele acrescentou que as 12 recomendações ofertadas pelo CCPHA para prevenir homicídios têm base local, com foco nos territórios urbanos.

A professora Ângela Pinheiro ressaltou a importância de fortalecer as forças coletivas no enfrentamento a situações difíceis. “Queremos atrair cada vez mais estudantes, servidores, professores. E ver transbordar nossos sentimentos e ações para outros segmentos sociais”, destacou.

A pesquisadora Sandra Helena explicou a importância de defender a garantia de direitos e relembrou o recente caso da morte da vereadora Marielle Franco, assassinada no Rio de Janeiro na semana passada.